quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Eu ensinei a todos eles

Lecionei no antigo ginásio durante dez anos. No decorrer desse tempo, dei tarefas a, entre outros, um assassino, um evangelista, um pugilista, um ladrão e um imbecil.
O assassino era um menino tranqüilo que se sentava no banco da frente e me olhava com seus belos olhos azuis-claros; o evangelista era o menino mais popular da escola, liderava as brincadeiras dos jovens, ouvia todos, brincava e sempre estava pronto para ajudar; o pugilista ficava perto da janela e, de vez em quando, soltava uma risada rouca que espantava até os gerânios; o ladrão era um jovem bastante alegre com uma canção nos lábios que nunca mudava; e o imbecil, um animalzinho de olhos mansos, que procurava se esconder, sempre a sombra de alguém.
Hoje, a assassino espera a morte na Penitenciária do Estado; o evangelista há um ano jaz sepultado no cemitério da aldeia; o pugilista perdeu um olho em uma briga em Hong Kong; o ladrão, se ficar na ponta dos pés, pode ver a minha casa da janela da Cadeia Municipal e o pequeno imbecil, de olhos mansos de outrora, bate a cabeça contra a parede acolchoada do Asilo Estadual.
Todos esses alunos outrora sentaram-se em minha sala e me olhavam gravemente por cima das mesas marrons da escola. Eu devo ter sido muito útil para esses alunos – ensinei-lhes o plano rítmico do Soneto Elisabetano, todos os coletivos da imensa lista que eles viram, o quarteto da hipotenusa, o Teorema de Pitágoras e como diagramar uma sentença complexa. Eu fui “uma boa professora para eles e os mesmos aprenderam tudo direitinho...”
N. Johan White, professora de High School.

38 comentários:

  1. EXCELENTE TEXTO!!!!!!!!!!
    Uma clara demonstração de como não se deve ser um EDUCADOR hoje em dia.
    Somos formadores de opinião(e isso não é um clichê!)!!!
    Podemos fazer a educação e, por consequencia, a sociedade, evoluir ao ponto de deixar de ser injusta, ignorante e apática no que diz respeito a sua própria condição sócio-econômica e cultural...
    Merecemos e as pessoas a quem mais amamos também!!!

    ResponderExcluir
  2. O texto é um tapa na cara da gente.
    Realmente temos de ler algo desse tipo para não ficarmos condicionados a sempre ensinar "tudo direitinho" para os alunos.
    Um abraço a todos e boa leitura

    ResponderExcluir
  3. Tive contato com esse texto quando colei grau. Faz muuuuuuito tempo. Sempre o trago comigo. Vez ou outra o leio. Serve como alerta. Acorda para o real papel do professor. Não permite que nos coloquemos como meros passadores de conhecimento. Adorei que vc o colocou aqui. Valeu mesmo. Fátima Rejane

    ResponderExcluir
  4. O texto é excelente. Ele nos oferece a oportunidade de refletirmos sobre a nossa prática que, muitas vezes, por ser corrida, nos faz distanciar do verdadeiro sentido de educar.

    ResponderExcluir
  5. O texto é um exemplo claro da ideia equivocada que AINDA fazemos do papel do professor - que este é um mero transmissor de conteúdos, muitas vezes, insignificantes.
    Ele - o texto - serve para refletirmo sobre a importância do nosso papel na educação, pois dele depende a direção que muitos alunos vão seguir em suas vidas.

    ResponderExcluir
  6. Este texto mostra-nos, evidentemente, a conduta de um professor decididamente tradicional, que acredita que sua função é a de ensinar , enquanto o aluno, seu subalternu, precisa apreender e aprender tudo o que ele, acredita que ensina. Não vamos agir assim.Djalma e Eduardo( professores por excelencia.

    ResponderExcluir
  7. O texto revela uma realidade que não prestamos muito atenção no nosso cotidiano escolar, assim quando paramos para ler alguma coisa desse tipo é que acordamos para o problema.Portanto, precisamos de mais atenção a individualidade dos nossos alunos.

    ResponderExcluir
  8. Ótimo texto!!!
    A educação é algo maior que ensinar conteúdos estabelicidos. É olhar para a vida e ver, nela, a atuação de pessoas que interagem de alguma forma com a sociedade. Que sempre possamos contribuir de forma construtiva com essa interação.

    ResponderExcluir
  9. O texto nos mostra a importância de um professor em sala de aula, pois, devemos ficar sempre atentos a nossa maneira de ensinar, buscando sempre a melhor forma, somos formadores, e por esta razão, o cuidado deve ser ENORME, para que os nossos alunos não se tornem um destes exemplos do texto lido.

    ResponderExcluir
  10. Alunos da formação continuada-JP13 de outubro de 2010 04:27

    interessante o texto, pois serve de alerta para repensarmos nossa prática cotidiana em sala de aula. Prestar mais atenção na realidade sócio cultural dos discentes, elaborando e reelaborando nossas estratégias pedagógicas.

    ok!

    ResponderExcluir
  11. o texto reflete a nossa realidade e a nossa prática pois ensinamos a uma clientela diversificada que, muitas vezes,não conseguimos atingir o objetivo desejado,uma vez que muitos alunos se desviam para caminhos.formação continuada.

    ResponderExcluir
  12. CORRIGINDO;
    o texto reflete a nossa realidade e a nossa prática pois ensinamos a uma clientela diversificada que, muitas vezes,não conseguimos atingir o objetivo desejado,uma vez que muitos alunos se desviam para caminhos errados.

    formação continuada.

    ResponderExcluir
  13. Ótimo texto! É indiscutível a importância do educador na formação do aluno. É preciso oferecer maior atenção à educação do aluno, compreendedo-o como um ser de múltilplas necessidades.Franciralda

    ResponderExcluir
  14. O texto apresenta uma professora que não exerceu de forma eficiente seu papel na sala de aula. Ela não transformou a vida de seus alunos, só perdendo seu "precioso" tempo com eles. Assim, também é a visão e a realidade de muitos professores, apenas transmitem conteúdos, regras em sala de aula, apenas isso, ou seja, ensinando tudo "direitinho"

    ResponderExcluir
  15. O texto apresenta uma professora que não exerceu de forma eficiente seu papel na sala de aula. Ela não transformou a vida de seus alunos, só perdendo seu "precioso" tempo com eles. Assim, também é a visão e a realidade de muitos professores, apenas transmitem conteúdos, regras em sala de aula, apenas isso, ou seja, ensinando tudo "direitinho"

    ResponderExcluir
  16. Devemos observar nossos alunos não como um todo, ou seja, uma sala de aula, mas com indivíduos pensantes, críticos e atuantes no processo ensino/aprendizagem.

    ResponderExcluir
  17. O texto nos faz refletir sobre a prática de ensino de alguns professores que se preocupam apenas em transmitir conteúdos, esquecendo-se da formação do indivíduo enquanto ser social.

    Jandilene
    Josilane

    ResponderExcluir
  18. Este texto reflete a realidade do ensino de hoje: um ensino voltado para teoria,sem um objetivo prático, real as necessidades do cidadão. Uma formação continuada dos profissionais em educação prova ser necessário para que se reflita sobre a importância de um ensino construtivo e voltado para a prática social do indivíduo.

    ResponderExcluir
  19. Identifiquei-me bastante com esta situação. Atualmente, temos turmas tão heterogêneas que às vezes ficamos até confusas sobre o que é realmente importante ensinar. Cada vez mais acho que é preciso atualizar o currículo escolar ano a ano para que possamos ensinar o que de fato é relevante para o convívio sócio-profissional dos alunos. Por exemplo: qual a importância de o meu aluno saber se o prefixo é grego ou latino?
    Ela utilizou uma ironia muito infeliz ao afirmar que os alunos aprenderam tduo o que tinha ensinado. Será que ela os ensinou tudo de ruim o que fizeram?
    Também é preciso motivar os alunos a fazerem suas escolhas de uma maneira mais consciente e crítica, uma vez que as mesmas podem modificar o resto de suas vida.

    ResponderExcluir
  20. O texto expõe nossa incapacidade de ajudar nosso aluno _criança, adolescente_ a ter confiança em um futuro melhor que a realidade que eles conhecem. Trouxe-me a indagação: onde erramos? onde se pode melhorar? Como agir para o aluno nos ver não só como professor mas como um ajudador, colaborador ? será que não parecemos humanos! Somos meros transmissores de conhecimento? A sociedade está insensível aos problemas sociais que atingem nossas crianças. Não entendo como ainda se surpreendem com a violência.Nossas crianças estão carentes de atenção, orientação,carinho; muitos alunos são oriundos de abrigos, já nasceram em situação desfavorável; e o professor preocupado com a concordância verbal, indiferente a incoerência social! Dulce. Aruanda.

    ResponderExcluir
  21. AULA DE PORTUGUÊS

    O texto nos faz refletir sobre o papel do professor perante o alunado diversificado das nossas escolas.
    O professor deve apenas se preocupar em transmitir informações, organizar o conhecimento, mas preparar o aluno para a vida nos aspectos morais e éticos

    ResponderExcluir
  22. Ensinar é fácil, mas aprender...

    Este texto é bastante interessante, pois apresenta mais um exemplo de uma aprendizagem vazia sem nenhum significado para a vida.
    A professora, realmente, ensinou tudo direitinho e eles aprenderam da mesma forma, no entanto ela não atendeu às necessidades básicas do ser humano,ou seja,o saber viver. O que foi ensinado nada pode ser vivenciado.
    Normalmente é o que acontece em nossas escolas, muitas vezes por causa do despreparo dos profissionais e outras vezes por exigência dos próprios educandos que não concebe como aula atividades que os faça refletir.

    Julicléa Félix e Waldenice Pereira.

    ResponderExcluir
  23. O texto retrata uma realidade não tão distante dos nossos dias... pois por mais que haja um esforço do docente para transformar a forma de pensar, de agir e provocar o interesse dos alunos nos estudos e que dessa forma, termos um futuro cidadão ou cidadã consciente... muitas vezes ficamos a desejar, pois faltou o toque final, o da razão... isto, aconteceu com essa professora...

    ResponderExcluir
  24. O texto mostra a nossa realidade, o ensino hoje.Temos que além dos conteúdos didáticos, precisamos preparar nosso alunado para a vida, Uma formação continuada dos profissionais em educação prova ser necessário para que se reflita sobre a importância de um ensino construtivo e voltado para a prática social do indivíduo.

    ResponderExcluir
  25. O texto é muito bom para ser trabalhado em muitas salas de aula no momento onde muitos alunos não estão interessados no amanhã .Mas não poço dizer que se eu estivesse no lugar desse profissional teria feito a coisa certa,pois não conseguiu salvar nem um dos alunos.

    ResponderExcluir
  26. Texto alerta. Somos professores de um público diversificado e temos que ensinar o conteúdo de língua portuguesa com precisaõ:mesmo sabendo que a realidade é completamente diferente.Portanto, interagir e conhecer nossos alunos faz parte da nossa árdua profissão.

    Um abraço. 13 de outubro de 2010

    ResponderExcluir
  27. SUPER!!!!
    O texto mostra o quanto é significante para o EDUCADOR a filosofia de vida do ALUNADO, o mundo em que cada UM vive e TAMBÉM o mundo que cada aluno o É, ou seja, todos com suaS individualidades e personalidades, TÃO INDEPENDENTES DA ESCOLA E DO QUE O EDUCADOR se propõe com toda sua dedicação e AMOR ensinar! PARABÉNS ao autor do texto, este mostra, claramente, o quanto nós (educadores) somos responsáveis pelo HOJE, pois através do hoje, temos sempre a oportunidade de transformar o futuro dos queridos alunos.

    ResponderExcluir
  28. O texto nos leva a reflexão a respeito da postura do professor em relação aos seus alunos e a necessidade da interação com as famílias dos mesmos.Afinal o que pesaria mais o que o professor ensina em no máximo 45 minutos de aula ou o exemplo de uma família bem ajustada e comprometida com aqueles que estão em formação cidadã?

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Pelo que pudemos observar, a professora, infelizmente não foi capaz de olhar para seus alunos como seres humanos que eram, seres humanos que tinham uma vida fora da escola e que para viver essa vida de forma plena precisariam mais que conhecer os conteúdos de sua disciplina. Todos os alunos citados por ela tinham problemas fora da escola e esses problemas poderiam ter sido amenizados se ela tivesse tido um olhar mais humano, mais voltado para o desenvolvimento psicológico desses alunos. Como pudemos ver, o final de todos eles foi trágico e de nada serviu os conteúdos aprendidos dos quais a professora sente tanto orgulho.
    Nós professores temos uma grande missão frente a nossos alunos, no que tange ao seu desenvolvimento psicossocial. Não podemos nos orgulhar de sermos bons em repassar conteúdos, pois isso eles são capazes, hoje, de adquirir sozinhos, mesmo que sem orientação, via internet. Temos que nos preocupar em prepará-los para a vida e se conseguirmos pelos menos encaminhá-los, já é um grande passo para dar-lhes uma luz nas escolhas que precisarão fazer diante da vida.
    Professoras: Flávia Sirino, Ana Coelho e Ana Barbosa

    ResponderExcluir
  31. ERRATA

    AULA DE PORTUGUÊS

    "O professor NÃO deve apenas se preocupar em transmitir informações..."

    ResponderExcluir
  32. Kadydja Menezes e Paula Ribeiro13 de outubro de 2010 10:39

    A primeira reflexão a ser feita, deve ser em torno da forma pela qual alguns professores subestimam e rotulam seus educandos, dessa maneira, retiram-lhes o direito e a oportunidade de mudanças. Através dos adjetivos, a professora vai denegrindo a imagem de cada ser ( aluno )e ainda utiliza o diminutivo de forma sarcastica, burlesca e irrisória, como forma de reforço dessa degradação. O trecho:" Eu devo ter sido muito útil para esses alunos" mostra claramente a ironia presente na fala da professora, isso nos permite dizer, que ela passa por um processo reflexivo, analisando a sua condição de ducadora. Sendo assim, fica claro que na sua experiência educacional ela agia, simplesmente, como professora e não como educadora, pois suas ações não contribuiam com o crescimento ético e moral dos discentes.

    ResponderExcluir
  33. Gostei muito do texto,pois relata nosso cotidiano....

    ResponderExcluir
  34. O texto começa nos dando uma caracterização fixa sobre os alunos que são apresentados como assassino, evangelista, pugilista e imbecil e sugere que o professor seja um herói para resgatá-los. Diante disso, não achamos o texto interessante, porque o mesmo se refere a uma postura de professor que não nos identificamos.
    Não somos heróis. Somos profissionais buscando acrescentar, a partir das vivências de sala de aula, conteúdos, experiências, valores, entre outros, mas não temos nenhuma garantia de que haja uma mudança ou transformação na vida dos "aprendentes".

    ResponderExcluir
  35. É um texto que serve de reflexão para qualquer educador, pois à medida que se ensina apenas o conteúdo curricular de maneira objetiva se esquece de preparar o educando para a vida e para o exercício efetivo da cidadania.

    ResponderExcluir
  36. Sugestão de leitura: O MENININHO
    http://educadi.psico.ufrgs.br/cursos/ppg/textos/txhelena3.html

    ResponderExcluir
  37. O texto nos apresenta uma reflexão a cerca de nossa tarefa enquanto professores. Temos uma grande parcela para contribuir na formação das mais diversificadas mentes humanas. Para tanto é preciso empenho, dedicação e muita desenvoltura, para executarmos com eficácia o trabalho com o qual nos prontificamos.

    ResponderExcluir
  38. O texto nos leva a uma reflexão como estamos desenvolvendo nossas atividades em sala de aula,sentimos a necessidade de ter um olhar sempre a frente para melhor compreender o nosso alunado perante seus encontros e desencontros.Só então,poderemos atingir o verdadeiro objetivo:formar cidadãos capazes de construir seus valores perante a sociedade.(prof-Mariza.C.Soares e Maria do Socorro.S.N.Chaves).

    ResponderExcluir